quais as metas pra 2021?

um novo ano é uma nova chance, como um caderno novo cheio de páginas em branco. é hora de recomeçar. é hora de começar.

eu, particularmente, resolvi que não quero recomeçar. nas minhas análises, cheguei a conclusão de que quando recomeçamos, nem sempre aproveitamos o aprendizados do passado. e se tem uma coisa que aprendi – calma, esse não vai ser um texto sobre “o que aprendi em 2020”, nem de gratidão pela pandemia (sic) – pelo menos três últimos anos, é que tudo é aprendizado. tudo mesmo, sabe? até daquela situação que dá tremedeira só de pensar, algum aprendizado você consegue tirar. e nem sempre um aprendizado é sobre uma coisa negativa, as vezes a gente aprende que a gente não quer mais passar por uma situação xyz e tá tudo bem.

eu quero começar. começar a ter mais prazer em coisas simples como deitar no chão da sala e deixar o meu cachorro subir no meu peito e lamber a minha cara.

começar a ouvir mais. eu amo falar, amo contar histórias e nem sempre me coloco no lugar do ouvinte. outras pessoas também tem histórias incríveis para serem compartilhadas.

começar a não desistir de projetos. a minha mente é criativa e sempre traz algum tipo de empreitada nova. nem tudo precisa ser um grande projeto, nem tudo precisa ser tocado com muita energia. nem tudo precisa parecer um trabalho. não desistir, é só não deixar completamente de lado.

começar a assistir mais filmes. nem toda história precisa ser contada em 7 temporadas com 21 episódios de quarenta minutos.

começar a escrever mais. no papel de pão, no blog, numa nota protegida no celular. escrever sempre me fez muito bem (e continua fazendo). hábitos que fazem pra alma precisam ser mantidos.

e por fim, começar a organizar o tempo para conseguir fazer tudo. afinal, os dias ainda só tem 24h.